Pular links da navegação e ir direto para o conteúdo

Publicado em 17 de Apr de 2006 às 16:35

Blogs brazucas são simplesmente blogs

Nas últimas semanas não consegui escrever sobre tudo o que queria, mas nessas duas últimas a esquentada análises sobre blogosfera brasileira na própria não me deixou escolha se não bolar um texto rápido para acrescentar alguma coisa nesse mar.
Não foi a primeira vez que apareceu essa tentativa de análise, na verdade eu nem a classifico assim e sim como uma tentativa desesperada de melhorar o cenário de blogs aqui no Brasil, seus conteúdos e a relação entre blogueiros.

Mas agora é diferente porque a quantidade de blogs cresceu tanto quanto a ilusão de se fazer grana fácil com eles e quando o dinheiro entra na roda e um link começa e valer ouro (dólares do google) não é de se estranhar que aconteça coisas como o “me linka que eu te linko”, spam, agressões verbais sem lógica, “perguntas idiotas”, “posts idiotas” e tudo mais, porque além de sermos brasileiros somos essa raça nojenta de seres humanos que faz coisas inacreditáveis para atingir um objetivo.

Fala-se da blogosfera brasileira como se fôssemos bem diferente dos blogs gringos, não é verdade. Assim como lá fora os assuntos são quase os mesmos dependendo do perfil do blog, se for blog de humor a moda é colocar vídeos do YouTube, se for um blog corporativo a moda é contar vantagem de seus produtos e serviços e rir dos comentários puxa saco que também esperam ganhar alguma vantagem, se for blog técnico tem que escrever como se fosse o dono da verdade e não dar bola a nenhum comentário. E não deveria ser assim, claro. É notório que com isso se perde a maior vantagem desse meio: a interatividade, a capacidade de compartilhar e colaborar. Aceitar essa colaboração é a melhor coisa que você pode fazer para seu blog. Alguns sites não fecham essa porta por não quererem esse acréscimo válido, mas sim por não querer o acréscimo do mal. Comentários que simplesmente apontam links para o próprio site dizendo “lá eu escrevi isso e aquilo a mais que você” pode parecer somativo, mas dependendo do objetivo, não é.

A maioria dos blogueiros aqui no Brasil não faz jus a fama de criativo do brasileiro, não quero generalizar e nem agredir nenhum blog, por isso usei o termo “a maioria”, mas muitos dos posts são cópias de posts de sites estadounidenses ou europeus e até acho a coisa mais normal do mundo esse fenômeno de “inspiração” em conteúdos gringos de qualidade. Até porque a influência e o peso do inglês é talvez uma coisa sem volta e inevitável hoje. Talvez a gente não veja o contrário porque eles não são obrigados a saber o português e muita gente aqui não escreve em inglês.

Até eu me inspiro em assuntos de blogs estrangeiros, não há problema nisso, o problema está em não acrescentar nada ao assunto ou não colocar a sua visão quando o assunto pede.
Falta cultura? Falta. Falta criatividade? Sim. Falta humildade? Também, mas esses não são problemas só de blogs brasileiros então se formos analisar, que tal tentar fazer de forma geral? Sem nacionalidade e língua. Quem sabe aí não se encontra o ponto certo para a relação entre blogs e que sirva para nós brazucas também?

Linkar é preciso

Você é Desenvolvedor ou Designer?
Leia o blog do VTEX Lab, núcleo de inovação para ecommerce da VTEX. Também escrevo por lá. :)

  • “…porque além de sermos brasileiros somos essa raça nojenta de seres humanos que faz coisas inacreditáveis para atingir um objetivo.”

    Que bom que isso acontece! Dependendo do objetivo muitas coisas são válidas.

    Mas concordo plenamente com a sua visão de que quando o dinheiro entra no jogo a história e outra.

    Paixão pelo que faz só existe quanto há o retorno financeiro.

  • Pingback: e a discussão continua… at blog palmeirense falador ()

  • Pingback: Login Style » Aprenda com os BONS ()

  • eu nao sei…ando cansada de tudo…nao sei de nada…nao sei se meu blog tem qualidade…nao sei de nada…quando fazia alguma coisa com qualidade, fui humilhada, agredida…agora faco o basico…acabou mesmo

  • realmente o dinheiro fala mais alto em todos os pontos, é impresssionante isso.

    Mas a idéia não é má, afinal assim, ganhamos muitos leitores novos, vindos de sites de parceiros.

  • Oi, Ro!

    Obrigada pelos links, visitas e comentários. Passei o feriadão envolvida no lançamento do BB – EMPREENDEDOR VIRTUAl e está sendo complicado blogar por 2, responder a todos os comentários, emails etc. A rede vai crescendo e fica humanamente impossível… Mas aos poucos estou voltando a visitar meus blogs favoritos ;)

    Sabe, Ro, essa discussão está crescendo demais. Mas não adianta pregarem-se regras. O bom da blogosfera é a ausência de censura. Os melhores despontarão com certeza. O BOB tem muita influência americana porque sou paga para desenvolvê-lo. A força da corporação de 11 outros blogs ajuda muito. Particularmente gosto bastante dos blogs internacionais. Dos brazucas tb. Minha reclamação é mais pelo fato de rolar egoísmo, inveja, baixaria nos comentários etc entre os próprios brasileiros. Fazer o quê? Cada um dá o que tem… Cansei de me incomodar, hj eu quero é mais! Fazendo bem feito nosso trabalho já é mais do que meio caminho andado e não sobra tempo pra bobagens.

    Ro, vc entende um bocado de WordPress, né?! Que tal me passar seu MSN ou skype?

    Bjsss

  • Na verdade o mundo dos blogs foi invadido por egocêntricos que querem de alguma forma serem famosos e aparecer.
    Como nao podem, ficam pedindo comentario ou entram na moda Diogo Mainardi: ser inteligente eh ser agressivo.
    MAs eu gosto desse, juro!
    Beijus

  • Opa Rodrigo!
    Valeu pelo link! Estou gostando dessa movimentação toda. Está massa, não está?

    abraços,
    marcleo

  • Fala grande Muniz!

    Cara, não vou me aprofundar muito no assunto pq to meio perdido. Ainda não ouvi o podcast dos cara lá, nem li muito sobre esse boom q teve a respeito da blogosfera brasileira. Mas tipo, vou tentar acrescentar algo aqui.

    Meu blog, talvez vc se lembre, estava tendo apenas um quote de um assunto e muito raramente um comentario meu abaixo. Nessa epoca meu blog estava na média de 5~10 posts por dia. Mas aí um dia eu parei e pensei “Porra, qq eu to fazendo? Oq eu to somando nessas historias?” e foi aí q me veio a idéia “Escreva menos mais escreva algo útil”. De lá pra ca eu procuro falar de assuntos meus, coisas minhas. Comentar sobre algo q aconteceu? Tá, isso é valido, muito alias, mas tem q colocar algo seu ali, senão não presta pra nada.

  • Pingback: Fator W » A fantástica fábula dos caranguejos de Bloglopolis ()

  • Liv

    Nossa, realmente há diversas opiniões sobre o assunto, mas o que vejo é um pouco de tudo o que foi falado e comentado aqui. Assim como tem muitas pessoas querendo fazer dinheiro fácil com seus site s e blogs, ou tornarem-se webcelebrities (esse termo não é meu, mas eu li no flog de uma amiga que também se revolta com essa questão apontada aqui), tem gente que tenta fazer de seu blog uma página informativa, formativa, a narração de sua his´tória pessoal. Penso assim porque muitas vezes tentei combinar as efemérides cotidianas a pensamentos interessantes e idéias das quais faço questão de manter registradas, assim como fazia em meus cadernos de idéias e histórias que costumava escrever antes de me render ao mundo “internético”. Posso dizer que muitas vezes vejo blogs com falta de conteúdo mas não falta de vontade de acrescentar conteúdo. O que eu quis dizer? Quis dizer que muitas vezes, os blogueiros brzucas até querem postar coisas interessantes em seus blogs, mas nem sempre fazem coisas interessantes ou pensem coisas interessantes… Eu mesmo sou um exemplo disso. Normalmente meus posts acabam se referindo mudança no layout ou a um desabafo corriqueiro, mas a vontade de postar acaba sendo maior do que a vontade de ficar quieta esperando um conteúdo interessante aparecer na minha cabeça… Talvez isso seja vontade de se comunicar ou falta de inspiração pra postar coisas com um caráter mais interessante ao leitor, ou falta de leitores que comentem alguma crítica válida e gere uma discussão que mereça ficar registrada na web… Só sei que nesse mundo de blogueiros brazucas existem coisas que nem imaginamos que podemos ver… Coisas com uma qualidade inigualável e coisas que se poderiam chamar “lixo”.

    Espero ter contribuido pra essa discussão!
    Beijos!

  • Pingback: Vírgula-Imagem :: Marcelo Terça-Nada » Quantos blogues você ficou conhecendo nas últimas semanas? ou: De link em link é que se constrói uma rede! ()

  • Pingback: JoaoVagner | Diga de onde blogas e te direis quem és! ()

  • Olá Rodrigo

    bem bacana o post.

    Acabei de responder um e-mail sobre reblog.

    Existe um argumento de que reblog estimula o desenvolvimento de uma opinião própria. Pode ser e pode não ser. Mas eu prefiro não fazê-lo.

    Acredito, assim como você falou, que o interessante mesmo é fazer o máximo uso da interatividade que essa ferramenta proporciona.

    Um abraço.

  • Blog é a palavra dos que têm pouco ou nenhum espaço para se fazer ouvir. Se inspirar em posts alheios talvez satisfaça o ego dos pouco criativos e nada originais, salvo quando o assunto abordado é fruto ou gera uma discussão sobre determinado assunto ou ponto de vista.
    Acho um pouco simplista de sua parte, classificar blogs pela nacionalidade. Em todos os lugares existem os originais e os tacanhas; os profundos e os superficiais; os que servem para se falar do dia-a-dia dos autores como se suas aulas de ginástica ou as peripécias de seu hamster interessem a outrem e existem os que falam das experiências de quem escreve com crítica, análise e sugestões.
    Não discuto sobre o que cada um escreve. Todos têm direito deescreverem o que bem quiserem, o que me causa horror são os erros primários de ortografia e gramática. Até perdôo os erros de revisão, afinal de contas não escrevemos jornais, mas a gramática é essencial para quem escreve, potencialmente, para todo o mundo.

  • @Marcos:
    Na minha opinião não há problema nenhum em ser simplista. Até vejo como uma vantagem no meio de tanta informação.
    Meu objetivo não foi classificar os blogs por nacionalidade, foi mostrar que em qualquer lugar blog é blog e até acho que você entendeu isso. Tinha gente que estava escrevendo sobre essa “crise” dos blogs brasileiros como se eles fossem de outro planeta.
    Os problemas que a blogosfera brasileira apresenta não são muito diferentes dos problemas dos blogs gringos, as causas não têm só a ver com a nacionalidade.

  • Concordo plenamente na questão da interatividade, eu acho que um blog sem comentários é apenas “mais um website”.
    Quanto história de ganhar dinheiro com blog, nunca aceitei colocar nenhum tipo de propaganda no meu blog, até o faço gratuitamente como nos casos de ferramentas opensource que gosto, como o firefox.
    Mas tenho a absoluta certeza de que não tenho capacidade para escrever boas coisas que me darão dinheiro….rs
    Abraços

  • Pingback: Oitobits ()

  • Pingback: » Hora de voltar » Rodrigo Muniz ()

  • Olhe, gostei muito de seu blog, da escolha das cores, dos temas, de tudo.

    Li no Globo Informática que vc preparou instruções para instalar o WP. Olhe, eu tentei e nada de conseguir. Tive que arranjar um host compatível, por sinal, muito bom, onde instalei um blog na plataforma WP. Estou lutando para customizar, pq tenho a maior dificuldade com os comandos PHP. Quem sabe, um dia eu aprendo?

    Concordo com vc, fazer um blog, só pensando em ganhar dinheiro, não vale a pena. A questão é acrescentar conteúdo e criatividade, assim como vc. Parabéns

  • Pingback: A fantástica fábula dos caranguejos de Bloglopolis - Fator.WS ()

Sobre

Nascido em 1984 é Desenvolvedor Web autodidata desde 2002. Hoje especialista em Design da Informação pela UFPE é Designer na equipe de UX no VTEX Lab (núcleo de inovação para ecommerce), da VTEX.

Saiba mais