Pular links da navegação e ir direto para o conteúdo

Publicado em 3 de Dec de 2006 às 20:50

Se não tem foco no usuário está tudo errado

Repita comigo um bom mantra para blogueiro e desenvolvedores web: o usuário, o usuário, o usuário…
Há um bom tempo participei de uma discussão na lista Blogsfera onde o tema na verdade era um plugin para deixar o Adsense mais atraente, fui avisar que o layout dos sites quebravam quando se usava o Adblock, uma das mais populares extensões para Firefox e logo vieram as considerações.

O usuário que usa a extensão foi nomeado de “parasita” e o ato de escolher ver o conteúdo sem a publicidade de “pirataria de conteúdo”. Ficou claro que esse usuário não era bem vindo, sugerindo também que fosse usado algum meio para bloquear seu acesso ao conteúdo. Uso o adblock há muito tempo e não sendo bem vindo como leitor então… Adeus e obrigado. Nem precisaram me bloquear. :) Como me senti ofendido por não considerar os termos muito agradáveis para se tratar um usuário, apesar de lamentar, como leitor que era de alguns ótimos blogs dos participantes da discussão foi “unsubscribe” no feed e não voltei mais, pure n simple.

Foi muito simples pra mim porque era o usuário, ou seja, dono da situação, o complicado é abrir o olho para isso quando o dinheiro está na roda. Não estou querendo criticar ninguém pelo fato de ganhar dinheiro com o blog, nunca faria isso até porque voltei a usar Adsense aqui depois de tê-lo achado sem futuro no começo do blog. Parece incoerente da minha parte bloquear uma das fontes de renda do meu próprio site, mas explico porque não é. A tal extensão agiliza muito minha leitura na internet e não abriria mão disso e sei que nenhum usuário trocaria uma navegação melhor pelo conteúdo de site nenhum. Como foi discutido na lista o Adsense, Submarino, Buscapé, nenhum é vilão, a culpa está no mau uso da coisa. Assim como aconteceu com o popup, alternativas aparecem porque o usuário sempre vai achar uma maneira de melhorar sua experiência num ambiente onde ele é que controla as coisas.

Pra mim o mais surpreendente no tópico foi a comparação do ambiente da TV, rádio e impressos com o da Internet. Nunca imaginei que iria ver pessoas tão influentes na blogosfera considerando que o cara que escolheu não ver o adsense é a mesma coisa do que burla a publicidade da TV e rádio. É tão complicado assim notar que é para o usuário que o conteúdo existe e é ele que escolhe o melhor meio para acessá-lo, seja qual for o dispositivo, o navegador ou o plugin usado para melhorar a sua experência? Diferente das outras mídias, na internet ele tem as escolhas e mesmo calado tem voz ativa.
O usuário não gosta da publicidade que é a única fonte de renda do seu site? É melhor procurar alternativas, rebolar um pouco, usar a criatividade do que começar a pensar como bloquear seu acesso ou começar a tratá-lo como “o bobinho que clicar em tudo que vê” e encará-lo como deve ser: o centro, o principal, o que decide, o objetivo.

Há outros meios de destratar um visitante

Situação comum é a vista em muitos blogs alimentados apenas de algum novo vídeo da Cicarelli ou de fotos do acidente da Gol para se aproveitar da ignorância e “cegueira” de alguns visitantes esperando reverter isso em cliques e conseqüentemente em dinheiro, apesar disso dar alguma grana para alguns é preciso saber que um modelo desse não se sustenta pra sempre. Conversando hoje com o Walmar, chegamos a conclusão que não adianta você colocar 2 linhas de “buzz” numa página entupida de publicidade, isso não vai durar. Como sempre nossa conclusão foi: objetivo deve ser o usuário e acabou.

Não imponha tudo ao usuário

Não é porque meu blog não dá o retorno financeiro esperado que vou colocar o feed incompleto para forçar mais visitas, por exemplo. No meu caso prefiro encarar como uma falha minha pelo conteúdo fraco e abandono por falta de tempo à colocar a culpa toda no usuário, piorando sua experiência visando aumentar os lucros e encarando-o como “clicador de adsense”.
Enquanto você considera seu usuário mera fonte de cliques, outros estão publicando conteúdo relevante, de qualidade, com diferencial e isso é o que fica e o que vai sustentá-lo por muito tempo. Se aproveitar da ignorância dos visitantes é dar um tiro no próprio pé todos os dias porque a ignorância, apesar de ser preocupante, não é eterna e nem prevalecente.

Um bom exemplo pra mim da importância de deixar as escolhas com o usuário foi quando mudei meu feed pra o modo completo em fevereiro desse ano, de lá pra cá o número de comentários relevantes subiu tanto quanto o número de novos assinantes e visitantes. Então esqueça que o objetivo é o dinheiro. Se seu objetivo for o seu leitor/usuário/visitante é só fazer o dito feliz, o dinheiro é só conseqüência disso nada mais.
Pra não esquecer repitamos novamente o mantra: o usuário, o usuário, o usuário… (alguns precisam tentar também na frente do espelho).

Link

Você é Desenvolvedor ou Designer?
Leia o blog do VTEX Lab, núcleo de inovação para ecommerce da VTEX. Também escrevo por lá. :)

  • GOB

    Um dos melhores artigos que li nos ultimos tempos.
    Concordo plenamente em tudo o que foi dito.
    Nunca cliquei em um link do AdSense e acredito que nunca irei clicar, mas posso gostar dos textos e das idéias a ponto de recomendar o blog para vários amigos, sendo que alguns desses também poderiam recomendar a outros, ou até mesmo clicarem, quem sabe.
    Esse é o melhor tipo de publicidade que existe e grandes autores estão fazendo descaso ao aproveitá-lo.

    Ressalto que gostei muito do artigo.
    Abraços.
    GOB

  • Isso mesmo Rodrigo, plenamente de acordo, o leitor deve estar livre também não pode ser ludibriado por falsas palavras para chegar até lá…

  • Olá Rodrigo!

    Buscar o equilíbrio entre atender e melhorar a experiência do usuário e poder manter o blogue com o máximo de qualidade é o deafio atual!

    O seu texto contribui neste sentido, parabéns!

  • Ótimo artigo.
    Me faz lembrar de blogueiros (com quem aprendi muito no passado) que excluem usuários que usam 800×600. heheh

  • Nos últimos dias, alguns blogs que leio me deu a impressão que o dono entrou na lista de palavras-chave mais bem pagas e se “inspirou” para escrever um artigo sobre aquele assunto.

    E outra. O fato de tentar deixar a publicidade mas de acordo com o layout para ter um retorno melhor é válido, mas o pessoal está fazendo isso com a intenção de enganar o usuário e assim gerar um “click acidental”, mas pelo fato do adsense colocar anúnucios relevantes, o usuário acaba ficando feliz com o click.

    Com relação ao usuário, ele deve ser o centro de tudo. O que é um site sem usuários? O que é um conteúdo sem os leitores?

  • Excelente artigo Rodrigo.
    O leitor que deve decidir como que ler seus feeds e se quer ou não ver os anúncios do Adsense.
    Ele deve ficar à vontade!

    Abraço

  • Com certeza Rodrigo. Dou meu total apoio!

    A “blogosfera” brasileira está passando por isso. Muitos blogueiros acham que o mais importante é a renda, isto é, o dinheiro prevalesce em cima do usuário de seu site.

    Desta maneira, entopem o layout com banners e publicidades, a fim de aumentar as chances de cliques, prejudicando a leiturabilidade e diagramação do blog em si.

    Concordo, também, com o Micox, e vou além.

    Acho que acontece uma espécie de “rodinha” entre alguns blogueiros, que somente falam e citam coisas que estejam dentro desse contexto. Quando um escreve, o outro fala sobre esse, e assim sucessivamente….

    Porém, o princípio dos blogs é justamente essa interação entre os usuários e desenvolvedores, mas não é o que estou vendo.

  • Rafael Gomes

    Juro que não entendi o Pingback que deu no meu blog. Acho que aquele texto não se refere a mim. Pois apenas postei a minha prova do ENEM, mas não tenho culpa de um monte de retardado postar que quer sua nota. Somente para constar, não tenho nada no meu blog que me faça ter retorno financeiro.

    Até…

  • @Rafael os comentários do seu texto são o melhor exemplo de ignorância que as pessoas apresentam ainda na frente do computador. Não encare o link como uma forma de crítica ao seu blog, foi realmente só um exemplo da falta de noção que algumas pessoas ainda apresentam na internet e que pode vir a cair fácil em golpes e também sair clicando em tudo dando retorno a quem souber manipular a informação.

  • Opa! Isso mesmo… ótima observação… Já tinha verificado isso, somente não tive tempo para fazer um post sobre isso. Solicitei a bender que me ajudasse nisso, mas verifiquei que esse meu post foi além do bender e outros, como vc, deram ele como exemplo da ignorancia humana do clicar sem ler…

    Obrigado…

  • Eu sou cliente do tipo “chato”, e chato leia-se crítico, não ao extremo, – também sei elogiar e recomendar um bom serviço/produto – apenas pra quem merece.
    Na verdade me acho um cliente normal, não deixo o errado passar e também nao deixo o excelente ficar sem o elogio/agradecimento.
    Graças a essa minha postura eu tenho uma ótima base pra atender a qualquer tipo de cliente. É só pensar que o cliente é 3x mais “Chato” que eu.

    Parabéns pelo artigo!

  • Post acertadíssimo. Se o blog é rentável ou não, a culpa é do blogueiro que quer monetizar o blog. Até porque, utilizando-me do ponto de vista do mercado, há aquele velho ditado que diz que o “cliente tem sempre razão”.

    Não sou totalmente contra o Google AdSense. Uso o serviço no meu próprio blog. Mas viver em torno disso, dos centavos que cada clique gera, é demais.

    Fico impressionado pela forma como blogs “conceituados” (leia-se famosos) visam apenas ao lucro, e nada mais. Assim como alguns que se intitulam blogueiros profissionais demonstram ignorar por completo o leitor.

    Ou seja, anúncio é válido sim. Mas sem causar transtornos ao leitor ou poluir a página onde é exibido. É opção do usuário clicar ou não, sem forçar a barra. Ou então que o acesso àquele post seja cobrado, na cara de pau mesmo.

  • muito bom…muito bom…muito bom…muito bom…parabens…parabens…parabens…muito bom…parabens…parabens, bens, bens

  • Eu sou um desses “usuários” cegos!!!
    Bloqueio TUDO com o adblock, há muito pouco tempo eu acabei liberando o google-analytics, pois até isso eu bloqueava.
    Bloqueio tudo, mercadolivre, buscape, google, etc…
    Além do adblock, uso também o NoScript, ou seja, dependendo do tipo de página/blog eu quebro a página inteira só pra ver o texto.

  • Pingback: Link patrocinado no Google. O que vale mesmo é o seu clique! at blog palmeirense falador ()

  • Liberdade para o usuário SEMPRE!!!
    Quem não entendeu isto, não entendeu nem o que é a Internet…

  • Mário

    Sou seu fã cara. Concordo plenamente, o foco tem que ser no leitor.

  • Pior q isso eh generalizado.
    Em propaganda, em atendimento, em desenvolvimento de programas… as pessoas estaum taum concentradas em fazer algo novo e diferente que esquecem de quem vai usar. Acabam errando feio, e por isso quebram. Burrice da grossa, tb naum iria querer um lugar q me chamasse de parasita ou um produto que ofendesse minha inteligencia.
    Sim sim sim, o sulista ataca ;)
    Xero!

  • Danilo

    Parabens pelo seu conteudo Rodrigo,
    achei seu site pura caso e vou guardar ele no meu bloco de notas para futuras visitas nele.

    Gostei da parte

    “Então esqueça que o objetivo é o dinheiro. Se seu objetivo for o seu leitor/usuário/visitante é só fazer o dito feliz, o dinheiro é só conseqüência disso nada mais.”

    abraços….

  • Está certíssimo! Que bom ver um bom senso por aqui.
    Cheguei aqui lendo o post sobre “cegueira de banner” algo assim, porquê tava achando que era algum tipo de “dom” meu ignorar todo e qualquer tipo de publicidade online. Guess I was wrong…

Sobre

Nascido em 1984 é Desenvolvedor Web autodidata desde 2002. Hoje especialista em Design da Informação pela UFPE é Designer na equipe de UX no VTEX Lab (núcleo de inovação para ecommerce), da VTEX.

Saiba mais