Pular links da navegação e ir direto para o conteúdo

Publicado em 29 de Jul de 2007 às 17:47

Home office é a questão

Já é sabido que desde novembro do ano passado trabalho com uma agência portuguesa todos os dias sem sair do meu quarto e é fácil entender, mesmo em tempos de banda larga, o espanto das pessoas ao saber disso. O trabalho em escritórios, cercado de pessoas ou mesmo num falso isolamento dentro de uma baia ainda é modelo mental que todos aprendemos a ter de trabalho em agências web e comunicação. Quando converso sobre trabalho contando minha experiência, em 95% das vezes eu escuto: “Que sorte!“, “Awesome!” ou até um “Que chique!“. Mas será que trabalhar em casa sozinho é tão chique assim?

Vantagens e desvantagens. Quem não tem?

Não posso negar que criar seu próprio ambiente de trabalho é maravilhoso, e com isso não quero dizer escolher o porta-retratos que vai ficar ao lado do seu mouse. Digo escolher desde a cadeira que lhe sustentará 8 horas diárias (ou mais se você é freelancer) até a roupa que você vai usar, ou não (não, eu não trabalho pelado). E aí onde as desvantagem começam. Dependendo do seu contrato e na maioria das vezes é assim, o investimento é todo seu. Se acontece algum sinistro com sua máquina ou com seu escritório inteiro a responsabilidade é toda sua, é o preço do conforto. Recentemente perdi um HD cheio de arquivos de trabalho sem backup e até agora sinto as conseqüências de não ter conseguido o dinheiro necessário para recuperar os arquivos, a minha sorte é que a empresa é realmente muito flexível e tranqüila, porém todas seriam?

Trabalho em equipe faz a diferença

Pessoas fazem a diferença mesmo você não sendo o cara mais social. Quem me conhece sabe que não sou do tipo sociável, que troco fácil uma ida a algum barzinho por um filme em casa sozinho e que só consigo desenvolver uma conversa depois de conhecer muito bem as pessoas. E trabalhar sozinho em casa para pessoas com esse perfil é realmente um sonho, mas existem os momentos de bad dream.

Hoje sinto dificuldade de achar uma boa metodologia de trabalho a distância para resolver alguns problemas em determinadas fases dos projetos web como o brainstorm, por exemplo. Esses problemas podem resultar no temido re-trabalho. Há também a falta de momentos como os finais de tarde das sextas ou até a falta de troca de experiências on demand. Um ambiente físico de trabalho em equipe faz falta.

Muitos com certeza vão achar que reclamo de barriga cheia, mas na verdade esse texto não é uma reclamação. Home office pra mim é uma ótima experiência, só é preciso abrir os olhos para saber que não é o regime de trabalho perfeito como todos imaginam e que os problemas existem.

Você é Desenvolvedor ou Designer?
Leia o blog do VTEX Lab, núcleo de inovação para ecommerce da VTEX. Também escrevo por lá. :)

  • Bacana sua análise.

    Eu já trabalhei do meu home office cerca de 3 anos. Depois me mudei pra empresa física, com equipe de trabalho. Os dois lados tem seus prós e contras. De um lado, o conforto e comodidade (em relação à transportes, vestuário, e algumas vezes de horário), enquando do outro lado as respostas e análises ao lado de uma equipe pode tornar o trabalho mais produtivo.

    Acredito que devamos vivenciar os dois lados, pois trabalhar somente de um home office pode o tornar acomodado ao meio corporativo.

    Abraço!

  • Concordo que misturar é o melhor.
    Tomar as decisões em grupo, fazer os brainstorms, e depois se concentrar pra fazer o trampo bem acomodado, sozinho.

    No seu caso, em Portugal fica difícil ir até a empresa, mas podiam fazer uma vídeo conferência pra essas horas de necessidade, o que acha?

  • Home Office é realmente atraente, principalmente para quem mora longe dos grandes centros (meu caso) ou quer trabalhar em uma empresa estrangeira.
    Aqui consigo ultrapassar a dificuldade em abstrair o que o cliente quer em um site/sistema no brainstorm com uma ou mais reuniões presenciais, porém acredito que apesar de ser mais fácil conversar com o cliente “face-to-face” para entender as principais idéias o problema maior no brainstorm não está na distância e sim na etapa que é complicada por si só.

  • Muito bom o post. Trabalho no Google em SP e com toda a “publicidade” que se faz do modo de trabalhar lá – casual dressing, brinquedos, clima descontraído etc – todo mundo acaba me perguntando como é a “mamata” de se trabalhar lá.
    No final, acaba sendo como um ambiente de trabalho normal. Em um ambiente desconfortável, você rende menos e se estressa mais com o local. Comigo, acabo me estressando menos com o ambiente, mas trabalho MUITAS vezes mais, acabo chegando em casa cansado da mesma maneira. A diferença está na quantidade de trabalho feito.
    Como trabalho na parte de tecnologia, já tive oportunidade de viajar muito e também trabalhar remotamente, de casa por exemplo, e como você disse, tem seus benefícios, mas traz problemas. Alguns projetos nunca poderiam ser tocados remotamente.
    Abs

  • Antes de montar minha empresa trabalhei 1 ano com cada membro da equipe em sua casa. Quando precisávamos trabalhar “juntos”, fazíamos uma conferência no skype.
    Funcionou por 1 ano, mas em muitos momentos atrapalhava. Era computador que travava, internet que caia, conversas que nem sempre ficavam muito claras quando era só voz. Enfim, percebemos que trabalhar junto ajudaria. E ajudou de fato.
    Já li no blog de alguém, acho que do Walmar, que trabalhar em casa não é para qualquer um porque as pessoas na sua casa não entendem que você está trabalhando. Você acaba sendo alvo de problemas na casa que só você pode resolver ou conversas desnecessárias de quem está em casa sem fazer nada.
    Se morasse sozinho, talvez tivesse funcionado por mais tempo. Mas mesmo o aumento de custo com energia e transporte, ainda sim nos tornamos mais produtivos.
    Principalmente quando começamos a precisar de mais funcionários. Empresa pequena fica difícil pagar gente já formada, então a preferência era para iniciantes afim de aprender. E para quem está começando é praticamente impossível trabalhar sem contato com uma equipe.

  • Monik

    Rodrigo, isso que vc falou é fato!
    Tava pensando nisso semana passada quando tava fazendo um freela e meu pc deu quase deu problema, tipo, a responsabilidade realmente seria toda minha, pq me comprometí a entregar o trabalho no prazo X.
    E no seu caso realmente acho que é necessário ter uma boa dose de responsabilidade pra que tudo corra bem, mas acho que a experiência deve ser legal né? pq vc passa a conhecer as duas formas de trabalho.
    Abraços pra vc!

  • Thecka

    Olá
    Tenho algumas duvidas sobre o home office, e gostaria de saber se alguem pode me ajudar.
    Estou desempregada e pensei em montar um home office na minha casa, mas estou perdida em relação a que empresas procurar e como. Que serviços devo propor pra ser aceita, oque mais se pede em serviços a ser exucatados em casa!?!?! Se vocês puderem me dar uma luz agradeço e aguardo o email ! Obrigada, Thecka.

  • Já vivi os dois lados da moeda. Home Office tem seu lado bacana… não ter chefe, dormir tarde, trabalhar a hora que quizer… mas, afinal, e o trabalho? Poucas pessoas conseguem se dedicar ao trabalho em si, se organizar, ter horários. Trabalhar em equipe é algo fantástico. Acredito que hoje, fazer um projeto de internet sólido exige especialistas em design, arquitetura de informação, front-end, programador, no mínimo… e alguém que diga que faça tudo isso melhor que uma equipe, ou é enviado por Deus (me passe o currículo por favor, precisamos de você!) ou não faz tudo muito bem, o que pode comprometer o resultado final. Na criação em si, minha área, várias cabeças sempre pensam melhor que uma, sendo assim é brainstorming, participação é sempre bem vinda. Abs!

  • não é algo tão absurdo, quem é freelancer vive parte dessa experiência, mas não completamente, é preciso muitas vezes bater perna, ir até o cliente, coisas do tipo.

  • Rodrigo
    cheguei aqui numa busca de dicas para wordpress, pois acabei de migrar e achei alguns posts do meu interesse. Fiz trackback deste seu para um meu sobre home office também.

  • Plinio Marcos Moreira da Rocha

    Tive oportunidaded de trabalhar em casa nos idos dee 86, como free, embora mantivesse meu emprego principal dentro dos padrões normais. Minha experiência naquela época ja sinalizava o quanto é difícil administrar os problemas sozinho, e pior, os problemas comuns do dia a dia tomam significância tamanha que provocam constantes interrupções que atrapalham ainda mais prejudicando prazo e qualidade.
    Uma coisa interessante é que mesmo à distância voce faz parte de uma Equipe, porem, como estas distante é um elo FRACO no contexto desta Equipe, isto é, se ja somos detonados por marketeiros IN LOCO, imaginemos quão grande é o espaço e a influência deste marketeiro com a nossa ausência.
    Dentro do ambiente de trabalho ja existem 2 (dois) tipos de Colaboradores o que é Oficialmente Integrante da Empresa ou Instituição, que merece TODA a Atenção e o que apenas esta ali como Colaborador sem nenhum vínculo que oficialmente nem existe, imaginemos então, exponenciar as dificuldades deste Colaborador que nem existe colocando-o como um “fantasma” que nem se quer conhece a Equipe da qual é mero Colaborador.
    É complicado, muito complicado…. Se tivermos um ambiente de trabalho sadio, ondee TODOS assumem seus defeitos, esta convivência será pacífica, porem, se marketeiros que se mpre se escondem na pseudo-fragilidade dos outros, voce que fisicamente esta longe é o alvo mais fácil e terá sua vida transformada em um verdadeiro inferno !
    Outra coisa, como progredir se não participa do dia a dia da empresa e nem tem idéia do que acontece ou esta por acontecer ? Portanto, alem dos vários problemas estas fadado à mesmisse enquanto este o cenário profissional da empresa assim o permitir.

  • Pingback: Mais uma do home office « A vida como a vida quer ()

  • Bem, atualmente trabalho em casa em cima de blogs, ainda não tenho um ambiente ideal para trabalho, sinto falta de uma cadeira melhor, um maior espaço, um ambiente mais sucegado, com o tempo(conseguindo trabalhar e ganhar dinheiro né :p) isso vai se ajeitando, e estou muito feliz por poder estar em casa, mas claro assim como todo trabalho, há seus prós e contras, a organização e dedicação é primordial além de estabelecer horários e cumpri-los é fundamental para o bom andamento do trabalho.

    Abraços, belo artigo, sucesso.

  • Adriana

    Também trabalho em casa depois de ter trabalhado mais de 10 anos em grandes empresas.
    Realmente os dois lados tem prós e contras. Tenho dificuldade em receber ordens, suportar
    chefes incompetentes e grosseiros. Também de ter que conviver com aqueles colegas medíocres que
    não conseguem mostrar trabalho e tentam fazer isso tentando derrubar os outros.
    Minha tolerância é zero para tudo isso, acho que falta muito profissionalismo na minha área.
    Por esse motivo apesar dos contras de trabalhar em casa, ainda prefiro assim.
    Acho que isso depende do perfil de cada um. Mas alguém conhece outro alguém que não reclame do seu
    trabalho ? Já dizia um ex-colega “o pior lugar para se trabalhar é o lugar onde você trabalha”.
    Ainda não conheci um Analista de Sistemas FELIZ ! no seu trabalho :).

  • Júlia Abreu

    Tenho me interessado em abrir um home office, de realizar o sonho de se trabalhar em casa. Ou mais precisamente, deixar alguns problemas/vantagens/desvantagens de se trabalhar em uma empresa e ganhar outros quando se leva o trabalho para casa. Estou na fase de procura de informação, tipo de negócio abrir, que tipo de escritório, que serviços a oferecer, se posso combinar um home office com um trabalho fixo, etc. quem puder me mandar dicas sobre serviços que são oferecidos por home office, ficarei bem agradecida.

  • Eu trabalho em casa há mais de 1 ano. Confesso que tenho aquele problema de não aceitar situações adversas dentro de uma empresa (concorrencia entre funcionarios, intrigas internas, desrespeito á hierarquia) enfim.. todas essas situaçoes. Mas quando eu comecei vi que nem tudo eram Rosas… tive que criar um ritual, de levantar, tomar banho, café-da-manha e me vestir como quem ia sair pra trabalhar. Eu chegava a colocar calça social e sapato.. pra ficar dentro de casa. Com o passar do tempo fui melhorando esse processo… comecei a praticar 5S no meu home office (graças á experiencia que tive numa empresa) e isso me ajudou muito na organização da minha metodologia de trabalho. Uma coisa que me ajudou muito tambem.. foi criar um tipo de “plano de negocio”. Não exatamente “O” plano, mas um documento.. em que eu especifiquei.. que tipo de trabalho eu fazia, que tipo de cliente eu deveria captar, qual meu horario de trabalho… e uma listinha de “o que fazer” quando acontecer um determinado problema.. (como queda de internet, ou problemas com o computador). Não fiz isso pensando que na hora que acontecesse eu nao saberia tomar a decisão certa… fiz isso pensando em seguir um padrao de trabalho e tornar as coisas mais previsiveis (pois de imprevisível ja chega o meu salario no fim do mes).
    Uma coisa que aprendi tambem.. é que programar 8 horas por dia, nao significa que eu “produzi” o equivalente á 8 horas de trabalho. O lance é voce definir um tempo de execução das tarefas (como num trabalho em equipe). Em um projeto eu defino tarefas (pra mim mesmo) estipulo tempo, data e hora pra executar. Enfim.. tem muita que pode ser dito.. Acho que a vantagem maior do home office, pra quem volta para as empresas… é que voce desenvolve a seu lado “resolvedor de problemas”.. vc se torna mais capaz de enfrentar situações.. sem depender tanto dos outros. Outra coisa é que pra quem trabalha com desenvolvimento (como eu).. é que vc deixa de pensar um pouco em qual comando vc vai usar naquela função.. e pensa tambem no custo daquela hora que vc perdeu fazendo uma coisa que o cliente nem pediu (programador sempre tem disso, sempre quer impressionar o cliente) – Dá uma visão mais macro… além do editor de codigo. Mas com tudo isso.. as vezes é dificil.. dá vontade de voltar a ter chefe… mas só as vezes. Depois passa heehe.. Adoro trabalhar em casa.

  • Legal sua análise. Trabalho ’em casa’ também a mais de 5 anos, e, sinceramente, não me imagino novamente acordando de madrugada pra enfrentar muitas vezes mais de 1 hora ‘espremido’ em ônibus e metrôs (moro em SP, a grande metrópole). Eu não trabalho apra nenhuma empresa, trabalho pra mim, sou meu próprio ‘chefe’. Isso também tem usas vantages e desvantagens. Só o fato de periodicamente eu poder me dar o luxo de dormir um pouco mais, ou de prolongar um pouco o horário do almoço, ou até uma ou outra vez ‘tirar o dia de folga’ é bastante agradável. Porém, a insegurança, a incerteza de saber se amanhã terei bastante trabalho como tenho hoje, é uma coisa que incomoda bastante. As contas não esperam, elas têm data para serem pagas… rs. Mas realmente, acredito que hoje em dia seja bastante vantajoso enfrentar essa barreira. Claro, disciplina é fundamental. Ter horário pra começar e para terminar o ‘expediente’, e não deixar se influenciar muito com o ‘ambiente doméstico’. Eu por exemplo tenho um cômodo em casa que é meu escritório. Tem mesa, telefone, computador, armários com documentos e livros. Nesse cômodo só entra objetos referente a trabalho. E é nele que passo geralmente de 10 a 12 horas por dia. Claro, não trabalhando direto. Posso me dar ao luxo de dar uma paradinha, como agora, pra ver algum artigo interessante que nada tem a ver com trabalho (até tem a ver, mas não diretamente e não com o trabalho atualmente sendo desenvolvido).
    É isso.
    Parabéns e boa sorte.

  • Graciana

    Gente….
    Vocês sabem conhecem uma empresa séria, onde eu possa me inscrever para prestar serviços em casa?

  • Pingback: MY SOHO – Small Office Home Office | A vida como a vida quer ()

  • Pingback: Mais uma do home office | A vida como a vida quer ()

Sobre

Nascido em 1984 é Desenvolvedor Web autodidata desde 2002. Hoje especialista em Design da Informação pela UFPE é Designer na equipe de UX no VTEX Lab (núcleo de inovação para ecommerce), da VTEX.

Saiba mais