Pular links da navegação e ir direto para o conteúdo

Publicado em 23 de Jun de 2007 às 15:04

Lembra a primeira vez que ouviu falar de web standards?

Eu lembro! Acho que foi no final de 2003, estava no MSN com o mineiro Marlos Carmo ironicamente um dos maiores Flashers que conhecia na época (aliás, por onde anda esse cara?) que me apresentou um portal dele para desenvolvedores mineiros fãs da extinta Macromedia e o diálogo foi mais ou menos esse:

– muito bom e está carregando bem rápido!
– é, foi feito 100% tableless :)
– hein?
– o layout não tem tabelas, é uma nova forma de fazer HTML com inúmeras vantagem, além do carregamento mais rápido: tableless.com.br
*5 min depois de ter conseguido ficar de pé e levantado a cadeira do chão*
– do car***ooooo!!

A partir daí devorei todo o conteúdo do Tableless e nos estudos converti vários sites famosos parcialmente, apanhando no float e bugs do IE6 claro. Por falta de novos projetos ainda fiz a conversão do meu primeiro projeto web, o desafio era que o cliente não notasse as mudanças, não está mais no ar. Uma pena, ou não… Boas madrugadas no falecido Duron 1.2GHz com 128mb de RAM. :)

Ainda passei 6 meses com a idéia de que as tabelas eram proibidas até descobrir que tudo isso de “sem tabelas” era só o lado marketeiro da simplicidade dos padrões. Web Standards mudou a minha vida, hoje sou um homem mais feliz. Obrigado Marlos! Pronto, já desabafei… LOL

Você é Desenvolvedor ou Designer?
Leia o blog do VTEX Lab, núcleo de inovação para ecommerce da VTEX. Também escrevo por lá. :)

  • por Muniz
  • Web

  • Márcio Sancho

    Experiência parecida também comigo.
    Conheci toda a verdadeira “lógica” dos padrões web ainda em 2002, quando um amigo meu me mostrou que a simplicidade (google sempre… :P ) era a base de tudo. E realmente.
    A seguir também vieram muuuuuitas leituras do Tableless.com.br. Que veio com uma idéia do car#$@$@ de colocar sites “convertidos” para estudo.
    Pena que me afastei um pouco de tudo isso. Pois nos últimos anos fiquei mais envolvido em projetos de softwares livres, colaborando.
    Mas estou voltando a velha forma aos poucos.
    Ótimo post. Bom relembrar o princípio das coisas.

  • Marlo Carmo? Eu acho que ele tem uma agência, não? Ele tava na minha lista do MSN, um conhecido do Sul tinha me passado o contato dele prum estágio

  • Pois é, e depois desse aprendizado básico vem a questão da acessibilidade e usabilidade – e isso demora mais para aprender, porque não se resume a um projeto genérico. Até hoje apanho com isso :D

  • E agora ajuda os aspirantes como eu :D
    E tem o reconhecimento de muita gente, como eu, nessa área.

    Se o Web Standards mudou a sua vida é pq tu acreditou nisso e correu atrás e fez com que mudasse. E é realmente fascinante esse “novomundo”, ainda não tive tempo de estudar tudo q pretendo, mas a cada nova etapa vou ficando mais contente com os resultados. A maior dificuldade é o jeito de ver (e de trabalhar) o site feito tableless em relação a o com tabelas.

    []s meu camarada!!!

  • Meu amigo Eduardo Perroud foi quem mostrou-me esse lado do Web Design que não conhecia =)

    Foi em 2004 se não me engano, ou 2005 mesmo…
    Fiquei fascinado pelas possibilidades e praticidades que o ‘método’ poderia proporcionar.

    Claro, também apanhei muito com os bugs do IE6 e float, mas com o tempo se adquire experiência e ‘malandragem’ pra lidar com esses problemas…

    Ah, com certeza, os Web Standards também mudaram minha vida! Se não fosse isso, não estaria no emprego que estou atualmente hehe

  • marlos carmo… gente fina… sempre o vejo no intercon, na dial host… e ele tb está em uma agência mineira se não me engano… vira e mexe converso com ele no gtalk.

    meu princípio foi em 2003 também, bem crú, ainda fazendo com um código bem ou-, usando imagens no HTML ao invés d colcoar no CSS, formulario dentro de tabelas, etc… :D

    mas dps, com o tempo, vai melhorando, vendo diferenças, convivendo com bugs do IE, diferenças d fontes no opera, mac, etc…

    primeiro link que eu vi, pelo menos um dos primeiros, foi o do stupid tables, que existe em várias línguas. vale a lida http://www.plasmadesign.com.br/stupidtables/

    legal relembrar tudo isso novamente :D

  • Muito legal relembrar mesmo Bruno. Lembro que esse Stupid tables também foi um dos primeiros conteúdos que vi na época e me deixou com um tesão incrível pelo assunto.

Sobre

Nascido em 1984 é Desenvolvedor Web autodidata desde 2002. Hoje especialista em Design da Informação pela UFPE é Designer na equipe de UX no VTEX Lab (núcleo de inovação para ecommerce), da VTEX.

Saiba mais