Pular links da navegação e ir direto para o conteúdo

Publicado em 9 de May de 2006 às 14:17

Ubuntu Linux, humanos iniciantes e erros

[Update 01/06/2006:] A versão 6.06 já foi liberada oficialmente e pode ser baixada no site de downloads do Ubuntu.

Minha opinião demorou, mas saiu. A distribução Ubuntu Linux se destaca das tantas outras pela sua filosofia “ser um sistema fácil de usar”, que é um desafio para o sistema GNU/Linux desde que foi considerado a melhor alternativa para derrubar o Microsoft Windows. Isso virou uma missão e eles estão indo muito bem apesar dos problemas com a versão que testei. A instalação deu erro duas vezes no meu PC em casa na etapa de criação de usuário e senha e simplesmente não continuou em 2 computadores no trabalho, mesmo tentando 3 CDs diferentes. Como em casa consegui, venho usando a versão 5.10 há mais de um mês e estou feliz com o que tenho visto, mas não tão satisfeito como a Simone, o Ciro e tantos por aí. O suporte a multimídia num sistema para desktops não pode ser como no Ubuntu 5.10 e o pacote de aplicativos OpenOffice é bom, mas o da Microsoft é ainda muito melhor. Para ser um “human beings system” ele ainda tem muito que aprender e não é com a Microsoft.

Pela primeira vez uma distribuição linux rompeu de vez a barreira do heavy user e conseguiu em pouco tempo destaque na imprensa e uma estrutura imensa quando se fala de comunidade e ainda mais em expectativa. O momento não poderia ser melhor, Firefox mostrou que é possível, é só mostrar qualidade em relação à concorrência. O estouro da raposa e os atrasos e firulas do Windows Vista podem trazer a grande revolução que tanto o mundo Linux espera, mas há erros que cegam a comunidade e atrapalham esse avanço. Minha pergunta é: Como vencer a Microsoft se você imita seu sistema enquanto o critica?

Cada um com seus erros

Surgiu o Unix, o Windows se destacou por falta de competência da concorrência. Surgiu o Linux baseado no Unix, a Apple vai na onda e cria o seu próprio Unix, o Mac OS que hoje é considerado o melhor sistema operacional do mundo para desktops. Onde acertaram? Não tiveram medo de inovar. Enquanto o Windows domina o mercado, o que mais a Apple faz no OS dela é fugir do Windows e exatamente por isso conseguiu fazer o melhor OS de todos os tempos. Qual o grande erro da Apple? Confiam tanto no seu taco que o tal super sistema só funciona num computador fabricado pela própria maça e o preço que se paga por esse hardware é destruidor (de bolsos).

Nesse cenário o Linux caça usuários do dominador Windows. Mas por que não conseguiu tanto quanto deveria se, assim como o Mac, já possui a estabilidade do Unix e não tem a desvantagem de empurrar um hardware caríssimo junto? O grande erro do Linux é querer fisgar usuários do Windows se camuflando como tal e ao mesmo tempo mostrando que seu rival não presta. Ora, como você me convence que o outro é pior se você a cada dia se veste mais parecido com ele? O que falta é estilo próprio e, assim como a Apple, inovação, inovação e inovação. Mesmo que seja copiado depois, você estará sempre à frente. Coisa que acontece hoje com o Firefox que enquanto está anos-luz à frente do Internet Explorer, esse último vai acordando e tem a difícil tarefa de recuperar o tempo perdido.

Inovações em interface

Muitas atitudes da empresa do Bill Gates irritam demais, mas o que mais dá raiva no esquema da Microsoft é o seguinte: Enquanto a Apple pensa e lança inovações no Mac OSX a Microsoft só espera, copia essas novidades e incorpora o que é possível no seu Windows. Os entusiastas do Linux que me perdoem, vou falar isso unicamente porque quero o bem do sistema, mas a mesma raiva que temos da Microsoft deveria ser sentida pelos desenvolvedores das mais populares interfaces gráficas para Linux, Gnome e KDE (que deveriam ter unido forças há tempos). Eles nem inovam com medo de sair de um padrão de interface estabelecido pelo Windows, e nem copiam assim que a Apple inova como faz a Microsoft. Esperam o Windows incorporar as inovações copiadas da maça, e ainda aguardam os usuários se acostumarem com elas para aí sim adaptam a seu sistema. Não é assim que deve ser, nem é assim que tem que ser.

Usuário é usuário e pronto

Aquela velha piada de que existem 10 tipos de usuários de computador, o que entende código binário e o que não entende não tem mais graça. A TV digital vem aí com toda sua interatividade, a maior inovação tecnológica quando se fala em “invasão” de nossas vidas e os usuários ainda são encarados como pedras no meio do caminho. Num tópico da lista ArqHP rolou uma discussão sobre barra de rolagem que acabou soltando perguntas como “até quando interferir na vida do usuário numa interface?” e “até onde a barra de rolagem é da página web e até onde é do OS?”, até que chegou numa questão ainda mais complicada, “a ignorância do usuário em lidar com tal interface”.

Há aquele desenvolvedor que entende de grana, cobra caro por ter a visão de que a concorrência está agindo errado, faz um sistema porco, ainda manda o usuário à mer**, cospe na cara dele e no final das contas o usuário ainda continua usando o sistema dele. Há outros que consideram o usuário um ignorante daqueles impossíveis de evoluir e supõem que todos são iguais e que estão satisfeitos com as cuspidas que levam e esses desenvolvedores acabam aprendendo a cuspir na cara dos usuários para conseguir uma fatia deles. E há a Apple, que acha que está quase tudo errado, faz as inovações necessárias acreditando no seu taco, acerta e cria o melhor sistema e erra no modo que ele é distribuído. Como eu falei no tópico da ArqHP, o nível de habilidade do usuário nunca, nunca mesmo, vai poder ser avaliado com precisão, então é preciso parar de pensar que usuários são iniciantes, intermediários ou avançados… Isso só deve ser levado em consideração para avaliar se o sistema é próprio para o iniciante, se sim, os outros vão agradecer tanto quanto ele.

Não fazer o que é certo só porque supõe que o usuário nunca vai conseguir usar é um erro, inovar é o certo. Ninguém nasce sabendo Windows nem Linux.

Meu desktop Ubuntu

Espero que a comunidade linux encare as críticas da forma mais madura possível. É hora de esperar a novíssima versão 6.06 do Ubuntu sair em 1 de junho e ver se estão chegando a um sistema com instalação simples, ainda mais bonito, pacote de aplicativos com culhões, inovador e com o que realmente importa no final das contas: facilidade de uso.

Você é Desenvolvedor ou Designer?
Leia o blog do VTEX Lab, núcleo de inovação para ecommerce da VTEX. Também escrevo por lá. :)

  • Artigo perfeito!

    É exatamente essa a imagem que tenho do Linux…
    Claro, não sou NADA experiente pra falar profundamente sobre o Sistema Operacional, mas no tempo que usei, achei muito parecido com Windows (em termos de usabilidade, claro)…

    Por isso parei de usá-lo, esperando que algum dia houvesse algum motivo que me atraísse (inovações, não somente uma imitação), assim como tenho vontade de conhecer o Mac OS, pois demonstra que realmente se opõe aos padrões, criando novas tendências e opções ao usuário.

  • emanuel

    acredita que eu prefiro a usabilidade do red hat ao ubuntu?
    é até estranho dizer isso, mas acho o ubuntu muito ‘windows like’ e isso me irrita bastante. preciso ter maiores experiências com ele, mas torço muito por uma melhoria na versão 6.1.

  • emanuel

    ah.. esse teu botão de enviar ai embaixo não tá muito usual não. :P

  • mano, o Red Hat é KDE né? Eu sempre tive uma queda por eles, mesmo não tendo ficado muito satisfeito com o que vi no Kurumim. Será que é o único KDE feio? Hahahaha… Acho que quando sair o 6.10 vou testar o Kubuntu também.

    O botão enviar quando fica nessa parte “embaçada” fica por baixo de uma camada dai fica inacessível. Já sabia disso, mas como isso aqui é pra experimentar mesmo vou continuar com essa camada. :P

  • Bom, já testei o Ubuntu e Kubuntu. O que falar de ambos? Mesma base, mudando apenas interface gráfica. Sinceramente, ainda não me decidi sobre qual interface é a melhor, ambas tem suas vantagens. Enquanto a KDE tem uma usabilidade melhor e uma interface mais amigável, a Gnome esbanja simplicidade e rapidez.

    Mas analisando o artigo como um todo, o Linux tem muito a prestar usuários leigos (caseiros são um deles). A questão de multimídia ainda é muito escassa e pobre. A suíte Office da Microsoft, é realmente excelente. E achei interessante o ponto onde você questiona a falta de inovação por parte dos desenvolvedores das interfaces Linux.

    O Ubuntu vem crescendo muito, não se espera lá grandes novidades para a próxima versão, mas uma distribuição com pacotes atualizados (claro). Irei testar o Beta 2, da versão 6.06, e devo postar um review.

    PS.: Apenas um parênteses: o sistema da Apple não só roda em Mac’s, mas em PC’s também.

  • O Red Hat – O Fedora – usa Gnome por padrão.

  • Quando eu terminei de ler eu tive a impressão que só você valorizou os fatores: multimidia e interface.

    em relação a multimidia ainda concordo com você. apesar de achar amarok tão bom quanto wmp e itunes eu vi o sufoco para poder tocar um .mp3, perdi quase uma hora para terminar a configuração e ainda hoje sei que os 8..10 plugins que instalei não são suficientes para todos os tipos usuais de arquivos (*nem todos os tipos de .mov estão pegando aqui..).

    a interface ainda é muito ‘windows like’ mesmo, mas você viu esse video? (acho que a interface linux está COMEÇANDO a criar personalidade propria..)

    eu concordo com você que para um usuário iniciante o windows é melhor..
    mas para o heavy user que tem o iptables, -R$, +++desenvolvimento (programação), -virus, n monitores,+rede,…., acho que é melhor que o win..

    * um outro fator que conta menos pontos para o linux é que o google/macromedia/adobe foram feitos para quem usa win..

  • Oi Adriano, já tinha visto sim esse vídeo, fantástico! Mal posso esperar!
    O objetivo do texto não era mesmo falar das inúmeras vantagens de se usar Linux como custos, estabilidade e tal… era sim mostrar os pontos fracos para assim tentar abrir os olhos de quem domina o sistema e acha que a coisa já ta boa demais. Boa está, mas inegavelmente precisa melhorar. Mas eu não disse em nenhum momento que o Windows era melhor para aquele ou esse usuário, pelo contrário eu falei que o Linux tava errando por imitar a interface do sistema da MS por medo de inovar.

  • Eu acho que para um usuário leigo tanto faz o Windows, Linux ou MacOS. Se o sujeito vai usar o computador pra escrever em um editor de textos e ler email não terá problemas em nenhum sistema operacional. É a história que eu sempre conto, a minha mãe é usuária leiga e senta no Windows ou no Linux e consegue acessar internet, ler email e jogar Mahjong sem qualquer dificuldade.

    Um usuário que sabe pouco vai aproveitar pouco do Linux e vai achar a mesma coisa do Windows. Um usuário mais avançado pode tirar muito mais proveito do Linux, no Windows ele fica meio limitado.

    Você falou bastante de interface. Eu particularmente não vejo problemas no KDE ou Gnome terem o mesmo estilo que tem o Windows. Isso é pra facilitar a vida de quem já sabe um pouco. Ter uma interface mais arrojada também fica por conta do nível de conhecimento do usuário, se ele for mais avançado vai descobrir que pode experimentar muita coisa diferente, se for mais novato fica apenas no “menu de programas e barra de aplicativos”.

    Olhando todos superficialmente você não consegue ver muitas vantagens, se você ir um pouco mais a fundo vai começar a ver algumas vantagens que valem a pena uma troca.

  • Vejamos.
    Uso o Ubuntu há aproximadamente 9 meses. Não vejo nenhum problema nele. Gosto de sua facilidade, usabilidade e simplicidade na interface gráfica. Mas jamais poderia discordar de você quando o assunto é “Multimídia”. Falta muito par ao Linux tornar o suporte a audio/vídeo fácil como no Windows.

    Mas uso somente ele em casa, não sou heave-user, apenas uso…

  • Salvador Camino

    Concordo com tudo, mesmo achando o Mac OSX imbatovel (mal posso esperar o Leopard), esses dias baixei o Kororaa que no live CD vem com o Xgl e achei magnifico. Acho que se a Sun comprar a Novell o linux vai dar um grande salto.

  • Pingback: Bruno Alves » Rapidinhas ()

  • o usuário simplesmente quer saber ligar o computador, salvar arquivos de texto, planilhas e apresentações, encontra-los mais tarde e acessar a internet… e para isso ele precisa de um sistema rápido e eficaz, não importando mais nada… inovações são legais, mas a funcionalidade é bem mais importante… simples não!? :) []’s

  • No primeiro podcast do Planeta Ubuntu falaram um pouco sobre a mania do Linux de imitar o Windows. Falaram pouco desse assunto mas foi interessante, o podcast é bem longo e tem bastante coisa boa ali. Vale a pena conferir.

  • Pingback: Alguns passos do opensource | ruf space ()

  • Pingback: BrPla.net » Rapidinhas ()

  • Esta correto o autor do post. Hoje a preocupação em se “evangelizar” os usuários pra Gnu/Linux chega a ser irracional. Eu uso o Gnu/Linux desde 2001 (final) e posso dizer que ele é bom em si mesmo para muitas coisas. Mas o detalhe é que não adianta usar um ótimo sistema, seguro, estável, blá, blá.. se não existir o que se fazer nele em escala profissional ou doméstica. Quem vai ditar as regras da continudade ou melhoria de uso ou compatilidade serão os grandes desenvolvedores de softwares. Pega um webdesigner que esta acostumado com o Macromedia Studio e manda ele aprender Gimp e NVU… não … tempo é dinheiro. Falta conciência e discernimento.. O Gnu/Linux foi feito pra mim ? Não adianta querer clonar, emular, tem que usar por concepção de funcionalidade em sua totalidade.

  • Encontrei o seu post através do seleção do Ciro.
    Conheço o seu problema com a senha no ubuntu, só com o terceiro CD consegui estalar ele tb.
    Hj sou um usuario kubuntu satisfeito. Só como relato pessoal, acho que já citei ateh em outro blog, meu pai um ex-leigo em computadores, teve seu inicio computacional nessa plataforma e depois apresentado ao windows, fas questão de dizer que o “bom mesmo é o UBUNTU… “.

  • Evandro

    Vocês falaram, falaram, mas eu que não entendo nada de linux continuei na mesma!
    Acho que o mínimo que um leigo espera de um sistema operacional, é que ele tenha as mínimas condições de uso. Ainda que seja so para acessar email, navegar e usar planilhas de texto como citado acima. Afinal nós também temos direito de termos um sistema que nós permita usá-lo normalmente, ainda que não dominemos o seu conhecimento. E nisso o windows está na frente. Se você acessa um determinado site por exemplo, e te falta um plugin, de repente aparece o aviso da microsoft perguntando se você quer instalar o plugin. Já no linux é diferente. É um tal de baixa, descompacta, descompila, compila, bla, bla bla, que a gente fica maluco. No windows, clicou, instalou…
    Desculpem se falei muita bobagem, mas é o que eu analisei sobre o que li, uma vez que vocês tem conhecimento, e eu não… Então, para que outros possam se interessar e se aprofundar nesta causa, começem lembrando de que se não ouver algo que seja fácil de se usar e instalar o básico necessário, sempre existirá o windows…

  • Pingback: Contraditorium ()

  • evandro: no firefox, quando voce acessa um site e não tem plugin aparece um texto no topo da pagina dizendo que o plugin não foi detectado e com um botao que ao clicar vc vai pra pagina de download do plugin atual. alguns são tão simples que basta clicar em install e pronto.

    mas lembre-se que isso é sempre um procedimento inseguro – esses procedimentos são a fonte dos famosos phishings e são um dos motivos do windows ser tão inseguro. no ubuntu (por exemplo), é muito mais fácil instalar plugins, codecs proprietários (como MP3) e tudo mais é acessando uma página como https://wiki.ubuntu.com/RestrictedFormats — não é a coisa mais óbvia do mundo, e eu espero sinceramente que o ubuntu facilite esse tipo de instalação (por motivos variados esse software não pode vir junto com ubuntu :/)

  • Amigo, se voce considera o Ubuntu o mais facil de operar, é porque nao conhece uma distribuiçao que inicialmente era da Corel e agora tem o nome de Xandros. É a mais fácil de usar e instalar, e pra quem é usuario do Windows nem vai saber que esta usando Linux.

  • Suez Santana

    O que eu posso dizer é qie tenho um AMD ATHLON XP 1700+, 512 DE RAM DDR, vIDEO NVIDIA DE 64 MB MX400, CHIPSET KT880, DISCO RIGIDO SATA DE80G E IDE DE 4.0G, SB LIVE 24 BITS, REDE REALTEK 10/100, PLACA MÃE MSI. Depois de dito tudo isso, rodei o live CD 6.06 em 26/06/2006, não bootou, não reconheceu nada, não prosseguiu para lugar nenhum. Verifiquei a integridade da iso com cheksum normal. Lamentávelmente, vejo muito gente gritando muito e os resultados nem sempre correspondem com o que ocorre na prática. Não estou falando aqui de componentes SIS nem tão pouco de hardware de outro planeta. Espero ter contribuido com a comunidade, sem ofensas. gostaria muito se alguém podesse me auxiliar, pois sou iniciante em linux, porém não ingênuo em informática. Obrigado a todos.

  • Airton Cunha

    A comunidade Linux busca manter um sistema estável, mas o conquista d mercado passa uma via via crucis. Impor mudanças radicais quando se busca, neste instante, a penetração do mercado em empresas privadas seria inoportuna. Aos poucos, a comunidade tem apresentado melhoras (quem usa o Linux desde 2000 para cá pode dizer isto de cadeira) e buscando a quebra dos paradigmas. Manter compatibilidade agora com o dono do mercado visado é fundamental. A visão dos artigo, bem como dos comentários até aqui, têm sido de pessoas que queriam ver uma identidade própria do Linux, como é a do Mac, desde os seus primódios. Neste momento, a compatibilidade é essencial, que quer queiramos ou não. É questão de Marketing. Se o usuário produz algo no OpenOffice, este quer que seja lido também pelo MSOffice do seu escritório, que não tem Linux. Quanto interface, mudanças radicais não fariam sucesso, pois o mercado de microsinformática é 100% Microsoft (mesmo os que usam Linux ainda usam o MS Windows, no escritório ou mesmo em casa). E o ser humano é avesso a mudanças radicais. Mas é verdade que a Comunidade Linux está muito lenta, que a hegemonia da MS já não deveria estar a níveis tão elevados, que o usuário final ainda está menos Plug and Play do que gostaríamos, mas é uma questão de tempo, principalmente após o convencimento dos governos Federal, Estadual e Municipal de que o Linux é um sistema viável sim.

  • vyce

    Ouvi muitos comentários por parte dos elementos da comunidade em relação ao facto de o linux estar a ficar parecido com o windows e de no linux n ser tão simples como no windows, etc…. o facto em si, em termos de cultura relativamente a sistemas operativos é que no windows tens “palas” e tás limitado em relação ao seu uso pois não tens controlo pela sua fonte… enquanto no linux tens essa vantagem de criares um os TEU em todos os seus aspectos e necessidades… de forma gratuita apenas com o teu conhecimento e criatividade…

  • Olha o linux é mto bom, mto estavel e mais um monte de coisa, confeço que uso linux tb ja faz algum tempinho mas não se compara a windows, eu acho que nunca chegara a altura, não por ser melhor ou pior, mas a realidade é uma só windows ta em em mais de 80% dos computadores do mundo e a microsfof so vale 236bilhões de dolares, não da pra competir, o windows sempre levara vantagem sobre o linux, claro que todo reinado tem um fim, mas o do windows acho que vai levar ainda um longo reinado……o linux é infeliz no suporte a instalar programas, se alguém não desenvolver algum linuxinstaller que converta ou aceita todos os tipos de pacotes na minha opinião o linux nunca consiguira passar a frente, eu não sou inciante mas odeio ter que ficar instalando compilador, biblioteca, e make dai make install daki é um saco o windows é mto mais facil, clicko o instalador ja faz tudo pra vc, não adiante windows ainda é o sistema operacional……..

  • Leonardo

    Olá, Rodrigo!

    Encontrei seu blog por acaso, pesquisando sobre o Ubuntu na rede. Eu li o seu texto e gostei muito!

    O meu problema é que estou querendo instalar o Ubuntu no meu notebook HP – Pavilion 5600, mas não sei qual versão eu instalo nele. Existe uma versão específica para notebook? Ou se pode usar a “PC (Intel x86) desktop CD”?

    Outro grande problema meu é que trabalho com edição de vídeo e a áudio, então acho que vou ter de continuar usando o pobre xp ainda por algum tempo.

    Sou totalmente leigo sobre “Linux”, no entanto acho que está mais do que na hora de o usuário comum se livrar da escravidão da Microsoft, mesmo que isso implique abrir uma nova frente de estudo. Afinal, nada pode ser mais estimulante do que novos desafios e aprendizados!

    Valeu, obrigadão!

    Leonardo

  • As pessoas parecem não conhecer o conceito de desktop…O que se usa em casa não é o que se usa na empresa.Em casa você instala 1000 aplicativos…Pra isso Windows pode ser melhor. Mas na empresa é o mínimo necessário e pronto!

    A questão também é cultural. Vamos para outro setor. Browsers. Porque o Firefox só é usado por 5% dos brasileiros, reposta: O brasileiro está acostumado com o browser que vem no Windows, e já está com plugins java e flash. Simples assim. Não é dificuldade ou originalidade, é cultura.Muita gente me pergunta se dá pra formatar o Power PC e pôr o Windows…É incrível, o sistema da Apple é perfeito, mas e daí…Cultura é fo**a, não é boa nem ruim. É apenas um padrão de uso.

  • João Mateus

    Pois eu acho tudo muito engraçado !!

    Segui minuciosamente as instruções de instalação do Linux no meu PC, onde tinha 3 partições, uma das quais com o windows xp e agora…

    …não aparece a opção da escolha de SO’s, não arranca o Linux nem o antigo XP, cuja partição está inactiva…(??)

    Vou agora instalar o windows na 3ª partição de modo a poder ao menos ver os discos e fazer um backup.
    Isto, é claro, antes de reformatar e reinstalar tudo…

    … enfim, uma carga de trabalhos…

    não posso deixar de concordar com o Lucas… Linux… só daqui a algum tempo !

  • Jorge Luiz

    Tudo na vida é criação. Cada invenção cada descoberta demandou interesse . Muitas descobertas foram por acaso, tipo a da penicilina, outras um grupo pesquisou e criou. Os SO também seguem o mesmo padrão, todos tem erros e virtudes, talvez encarar um Linux, cheio de variantes, seja uma pesquisa, mais toda e qualquer invenção ou criação partiu e sempre partirá da curiosidade. Talvez o Linux seja sinônimo de curiosidade assim como o Windows possa ser comparado ao fastfood, chega pronto para ser consumido, com programas comerciais que poderíamos até chamar de catchup ou mostarda ou o Mac ser chamado de caviar, inatingível para muitos, tanto faz , mesmo assim dá para viver, existirá sempre uma hamburgueria na esquina mais é bem mais dificil achar um restaurante que possua o famoso caviar e o Linux seja a mistura ou a falta dos dois. Cabe a cada um escolher.Eu estou conhecer, sou curioso e voce quer ser? A única certeza é que encontrará dificuldades ou esquece que o Windows também muitas dificuldades , senão não estaria no SP 2 ou no SP 1 para o Vista.

  • Kyaohra Cpynn

    Bom, em primeiríssimo lugar, perdoem todos, sou confesso “analfabyte”. Tenho tentado “migrar” para SO Linux em especial: Ubuntu. Entretanto, encontro enorme dificuldade de utiliza-lo. Há muito utilizo o “Ruwindows” e acostumei-me com as facilidades: Install; Unistall; Criar pasta; Em caso de pânico usar: crtl alt del; Boot para modo de segurança… E no Ubuntu não sei como: Instalar; Desinstalar; Troca Thema… Wallpaper… Criar pasta, fico desesperado tentando encontrar algo parecido como a arvore do Windows Explore… Vivo um misto de satisfação e decepção. Penso em o “retorno2 for Ruwindows”! Os tutoriais, na minha, insignificante e ignorante opinião, Poderia ter algo para pessoas como eu, que não conhece nada de Linux e de programação. Seria algo como: “Bê – a – Bá” imagino outros se sentissem mais motivados para utilizar o Ubuntu ou outra distribuição. Moro em Maceio, as pessoas(poucas) que eu conheço tem alguma dificuldade e falta de interesse em instalar, discutir/conversar sobre o sistema, cobram “caro” para instalar, instalam e somem – alguns não sabem mesmo, são só curiosos tentando demonstrar que conhecem… Segue o meu e-mail kyaohra@hotmail.com se aluguem tiver alguma sugestão, informação, enfim, aluguem que se proponha a uma inestimável e significativa ajuda, por favor! Grato.

  • Thiago

    O maior problema do linux é a compatitibilidade com os softwares que o usuario utiliza no dia-dia enquanto isso não mudar o SO não vai ter boa aceitação, interface a coisa que se aprende, esse não é o maior problema.

  • VanderBlue

    Como ouvir musica em MP3 em LINUX

    Avançado: Agora vou explicar pra você como instalar um player para vocẽ ouvir MP3 em seu LINUX.
    Iniciante: Legal, explica ae. Já instalei 1000 pacotes no meu LINUX e nada de eu conseguir ouvir música.
    Avançado: Tem calma cara! é fácil, prático e rápido … voce vai ver.
    Iniciante: Mas tenho que instalar mais pacotes ?
    Avançado: Nao é preciso… 1000 pacotes já chega.
    Iniciante: Mas eu so queria ouvir musica e ver um filme em meu novo sistema operativo… só isso!
    Avançado: Se você tiver calma eu irei explicar… é preciso é calma.
    Iniciante: Tá legal.
    Avançado: Vai a NET e abaixa o Totem ou o mplayer.
    Iniciante: Tá legal. Já está. Mas não sei onde está o programa no meu LINUX ? Será que eu abaixei ele direitinho? Não encontro ele no meu menu, nem no meu ambiente de trabalho.
    Avançado: Calma… ele deve estar no gerenciador de pacotes ou no adicionar/remover programas… vai lá e instala em seu HD.
    Iniciante: Tá certo. Já instalei, mas nao to conseguindo ouvir musica ainda. Fiz alguma coisa de errado?
    Avançado: Não cara, você está no caminho certo… é preciso é ter calma. Agora você faz o seguinte: Vai no remover/ adicionar programas e instala tudo o quanto é pacote de musica.
    Iniciante: Está bom. aqui vai… AMAROK, KAFFEINE, Reprodutor de filmes, MUINE , reprodutor de áudio , reprodutor banshee , reprodutor Exaile… Tenho mais de 7 . Está bom assim ?
    Avançado: Está ótimo… é preciso calma agora.
    Iniciante: Mas quanto de calma vou precisar ? Nenhum deles está funcionando ainda…. uns me pedem pluggins, outros são só leitores , uns são feinhos outros são bonitinhos… nao to entendendo.Está faltando mais alguma coisa?
    Avançado: Tem calma cara ! Os bonitinhos são estilo windows, os feinhos são estilo MS-DOS. Qual a aparência de seu ambiente de trabalho no seu LINUX?
    Iniciante: é bonitinha…
    Avançado: Entao voce está usando o GNOME. O Gnome é bonitinho tem a aparência do WINDOWS… você instala programas bonitinhos, e o KDE é feinho e tem a aparência do MS-DOS… aqui você instala programas feinhos, mas não interessa qual deles voce escolhe. No LINUX tudo funciona direitinho.
    Iniciante: Ata. legal. E agora ?
    Avançado: Estou achando… que vocẽ está precisando de pluggins.
    Iniciante: Mas você nao disse que seria tudo fácil, prático e rápido ?
    Avançado: E é !… é preciso é ter calma.
    Iniciante: Ata. É que eu estou aqui há 2 horas abaixando pacotes e mais pacotes e ainda nada deu certo .
    Avançado: Não faz mal… em LINUX é assim … tudo é fácil, prático e rápido, mas demora um pouco. Tem calma cara !
    Iniciante: Vocẽ é que manda. Mas agora tenho 1 200 pacotes.
    Avançado: não faz mal cara… pacotes nunca fez mal a ninguém…
    Iniciante: Bem ! eu nao to conseguindo ouvir musica.
    Avançado: cara … qual seu sistema operativo ?
    Iniciante: Debian
    Avançado: Não seria melhor você trocar pelo Kurumin ou Ubuntu ?
    Iniciante: Só agora é que você fala isso !
    Avançado: Em LINUX cara… é preciso muita… mas muita calma e paciência, mas você chega lá, falou !.
    Iniciante: Ata… entendi tudo…

  • Matheus

    Amigo, estou com uma duvida. Instalei o ubuntu no meu pc tranquilamente , sem nenhum problema. Depois de uns 3 meses apareceu uma listra na minha tela, bem fina q nao me incomodava. Porem de tempos em tempos aparece uma novo listra na tela. O intervalo de tempo desse acontecimento eh bem curto. Semana passada estava com 12 listras, hj ja tem 19 e provavelmente daqui uns dias tera mais de 100 até q eu nao consiga mais ver as coisas na tela. Vc poderia me ajudar????

  • Maria Madalena Santiago

    Maaanos! vocês ficam aí falando essa linguagem de índios e eu
    aqui feito boba lendo tudo e sem entender nada. Infelizmente caí
    de pára-quedas neste mundo louco da informática, pois a vida
    me empurrou.É imposto de renda, inspeção veicular, nota fiscal
    paulista e outros babados; e aqui estou eu, no alto dos meus
    cinquenta e seis anos, me enrolando com essa geringonça. Comprei um Dell Inspiron l525, Windows Vista-Home Premium,
    2GB de memória, disco rígido de 120GB, no escuro, sem entender nada. Agora, quero porque quero assistir a TV da Igreja
    a que pertenço, através do “bookinho”; aí dizem que preciso de
    Internet Explorer 6 para cima e Plugin.Como saber se meu PC
    tem IE6 ou 8? O que é plugin?É a mesma coisa que placa mãe?
    Isso tudo é de comer ou para passar na cabeça?É software ou
    hardware? Por favor ajude-me;pode ser pelo e-mail,se quiser.

  • Pingback: Rapidinhas | Assunto.Org ()

Sobre

Nascido em 1984 é Desenvolvedor Web autodidata desde 2002. Hoje especialista em Design da Informação pela UFPE é Designer na equipe de UX no VTEX Lab (núcleo de inovação para ecommerce), da VTEX.

Saiba mais